O Bar do Clube do Moinho, em Leopoldina-MG, promerá esta noite, 18/10, a partir das 20:30 hs um show que tem como repertório uma mistura de samba de raiz e mpb, tendo como intérprete Thaylis Carneiro (voz e violão) e participação especial de Gabriel Nunes (pandeiro e percussão).

Entrada gratuita. Vale a pena conferir!

Foto: Silvana Marques
Texto: Gabriel Nunes 

Produção de vídeos de animação reúne alunos da FIC, UFMG e UEMG
Alunos de três centros de ensino superior - Universidade Estadual e Federal de Minas Gerais e FIC - Faculdades Integradas de Cataguases - irão realizar 20 vídeos de até 1 minuto em técnicas variadas de animação e com a colaboração e orientação de profissionais em encontros presenciais e diálogo pela e.AR (Espaço de Aprendizado em Rede).
É o projeto Fábrica Animada, uma proposta de residência criativa de produção de vídeos de animação que será realizada por meio de processo colaborativo, com encontros presenciais e via web, utilizando a plataforma e.AR, desenvolvida no âmbito da Fábrica do Futuro e viabilizada com recursos do programa Vivo Lab e das leis de incentivo a cultura.
O lançamento dos resultados do projeto Fábrica Animada será realizado em evento especial no âmbito do Festival de Inverno da UFMG que este ano ocorre também em Cataguases-MG. O tema geral desta edição do festival é, “Cidades, Cultura e Desenvolvimento”. A cidade de Cataguases se alinha ao evento desenvolvendo o tema “Inovação, formação multimídia e conhecimento de ponta”.
O tema geral proposto para o Fábrica Animada é Vizinho. Por meio de exercícios livres de observação do outro (que pode estar no andar de cima, no planeta mais próximo ou na ponta de uma rede social via web) os participantes irão criar vídeos a serem exibidos em TV, mídias móveis e internet.
Os alunos possuem formação multidisciplinar, oriundos de cursos que pesquisam as possibilidades expressivas do gênero animação: A Escola de Design Gráfico da UEMG pensa em animação a partir do conceito de “design gráfico movente” (motion graphics). A Escola de Belas Artes da UFMG articula animação e artes digitais pela linha de uma possível “computação afetiva”. Já os alunos da FIC têm experimentado criar elementos do teatro de bonecos e do stop motion, técnica que atravessa a história mundial deste gênero.
Os alunos serão voluntários ou poderão obter bolsas de acordo com normas específicas de cada instituição. Consultores e colaboradores criativos irão dialogar com os alunos contribuindo com o desenvolvimento e concretização das ideias, apresentando referências, propondo percursos criativos, provocando discusões que possam estimular os trabalhos.
O projeto “Fábrica Animada” foi lançado em 28 de outubro de 2010, no Dia internacional da Animação. A data foi celebrada com uma mostra de filmes de animação no Cine Edgard, em Cataguases, atraindo um público de mais de 200 pessoas.Texto e Foto: Acessoria de comunicação da Fábrica do FuturoEdição: Gabriel Nunes 

Produção de vídeos de animação reúne alunos da FIC, UFMG e UEMG

Alunos de três centros de ensino superior - Universidade Estadual e Federal de Minas Gerais e FIC - Faculdades Integradas de Cataguases - irão realizar 20 vídeos de até 1 minuto em técnicas variadas de animação e com a colaboração e orientação de profissionais em encontros presenciais e diálogo pela e.AR (Espaço de Aprendizado em Rede).

É o projeto Fábrica Animada, uma proposta de residência criativa de produção de vídeos de animação que será realizada por meio de processo colaborativo, com encontros presenciais e via web, utilizando a plataforma e.AR, desenvolvida no âmbito da Fábrica do Futuro e viabilizada com recursos do programa Vivo Lab e das leis de incentivo a cultura.

O lançamento dos resultados do projeto Fábrica Animada será realizado em evento especial no âmbito do Festival de Inverno da UFMG que este ano ocorre também em Cataguases-MG. O tema geral desta edição do festival é, “Cidades, Cultura e Desenvolvimento”. A cidade de Cataguases se alinha ao evento desenvolvendo o tema “Inovação, formação multimídia e conhecimento de ponta”.

O tema geral proposto para o Fábrica Animada é Vizinho. Por meio de exercícios livres de observação do outro (que pode estar no andar de cima, no planeta mais próximo ou na ponta de uma rede social via web) os participantes irão criar vídeos a serem exibidos em TV, mídias móveis e internet.

Os alunos possuem formação multidisciplinar, oriundos de cursos que pesquisam as possibilidades expressivas do gênero animação: A Escola de Design Gráfico da UEMG pensa em animação a partir do conceito de “design gráfico movente” (motion graphics). A Escola de Belas Artes da UFMG articula animação e artes digitais pela linha de uma possível “computação afetiva”. Já os alunos da FIC têm experimentado criar elementos do teatro de bonecos e do stop motion, técnica que atravessa a história mundial deste gênero.

Os alunos serão voluntários ou poderão obter bolsas de acordo com normas específicas de cada instituição. Consultores e colaboradores criativos irão dialogar com os alunos contribuindo com o desenvolvimento e concretização das ideias, apresentando referências, propondo percursos criativos, provocando discusões que possam estimular os trabalhos.

O projeto “Fábrica Animada” foi lançado em 28 de outubro de 2010, no Dia internacional da Animação. A data foi celebrada com uma mostra de filmes de animação no Cine Edgard, em Cataguases, atraindo um público de mais de 200 pessoas.


Texto e Foto: Acessoria de comunicação da Fábrica do Futuro
Edição: Gabriel Nunes 

Fábrica do Futuro promove seminário

CLIQUE AQUI E FAÇA A SUA INSCRIÇÃO

Um seminário aberto para todos que queiram participar e se interarem com a Agenda de 2011 do Polo AudioVisual de Cataguases e região.

Arte gráfica: Gustavo Baldez
Texto e Edição: Gabriel Nunes 

A Casa de Cultura Simão apresenta o show “Da cor da pele”, com Thaylis Carneiro, uma das mais importantes vozes da região"Da cor da pele" propõe uma viagem pelo Brasil caboclo, mulato, cafuzo. Brasil nos tambores de Minas aos da Bahia, no pandeiros do Rio de Pixinguinha aos de Jackson do Pandeiro (Nordeste). è o samba na sua raiz, emaranhado nos braços da viola. É nessa viagem que Thaylis Carneiro, acompanhada pelo pandeiro de Gabriel Nunes e o violão de Camilo Silva, leva para o palco a essência da sua identidade. Pedindo licença, ela mergulha no universo da cultura popular, interpretando composições de Luiz Gonzaga, Dorival Caymmi, Chico Buarque, Tom Jobim, Geraldo Vandré e outros grandes nomes.Dia 22 de Dezembro de 2010(quarta-feira), às 20h 30minAnfiteatro Ivan Müller Botelho(Café do Museu)Av. Astolfo Dutra,41 - CentroCataguases-MgRetire seu ingresso gratuitamente no local 30 minutos antos do início do eventoInfromações: (32) 3421-2622www.casasimao.org.brRealização: Casa de Cultura Simão
Patrocínio: Bauminas, Hidroazul, Lei Estadual de Incentivo à Cultura, Governo de Minas
Apoio: Fundação Simão José Silva, Energisa, Fundação Ormeo Junqueira Botelho

e-com.colaborador:Edição: Gabriel NunesTexto: Thaylis Carneiro

A Casa de Cultura Simão apresenta o show “Da cor da pele”, com Thaylis Carneiro, uma das mais importantes vozes da região


"Da cor da pele" propõe uma viagem pelo Brasil caboclo, mulato, cafuzo. Brasil nos tambores de Minas aos da Bahia, no pandeiros do Rio de Pixinguinha aos de Jackson do Pandeiro (Nordeste). è o samba na sua raiz, emaranhado nos braços da viola. É nessa viagem que Thaylis Carneiro, acompanhada pelo pandeiro de Gabriel Nunes e o violão de Camilo Silva, leva para o palco a essência da sua identidade. Pedindo licença, ela mergulha no universo da cultura popular, interpretando composições de Luiz Gonzaga, Dorival Caymmi, Chico Buarque, Tom Jobim, Geraldo Vandré e outros grandes nomes.

Dia 22 de Dezembro de 2010

(quarta-feira), às 20h 30min
Anfiteatro Ivan Müller Botelho
(Café do Museu)
Av. Astolfo Dutra,41 - Centro
Cataguases-Mg

Retire seu ingresso gratuitamente no local 30 minutos antos do início do evento
Infromações: (32) 3421-2622
www.casasimao.org.br

Realização: Casa de Cultura Simão

Patrocínio: Bauminas, Hidroazul, Lei Estadual de Incentivo à Cultura, Governo de Minas

Apoio: Fundação Simão José Silva, Energisa, Fundação Ormeo Junqueira Botelho

e-com.colaborador:
Edição: Gabriel Nunes
Texto: Thaylis Carneiro


Uma nova adaptação cinematográfica do livro "Meu Pé de Laranja Lima", de José Mauro de Vasconcelos, está sendo filmada na Zona da Mata de Minas Gerais.

Roteirizado e dirigido por Marcos Bernstein, a história da vida do garoto Zezé, que se refugia da incompreensão e falta de afeto em seu mundo imaginário, chega ás telas com uma nova percepção. “Um épico intimista, onde o espectador se emocionará com o olhar carinhoso sobre os personagens e se deslumbrará com a grandeza das imagens da imaginação de Zezé”, comenta o diretor.

Responsável pelo sucesso dos roteiros de “Central do Brasil”, de Walter Salles, e mais recentemente de “Chico Xavier”, de Daniel Filho, Marcos Bernstein assina também a direção do premiado filme “O Outro Lado da Rua”, com Fernanda Montenegro e Raul Cortez.

De acordo com Bernstein, “Meu Pé de Laranja Lima” será feito do contraste dos pequenos momentos da vida diária de Zezé, com grandes imagens, quase épicas das fantasias.
As montanhas de Minas Gerais e o ar bucólico do interior da região da Zona da Mata trouxeram a equipe do filme a Piacatuba e Abaíba, distritos de Leopoldina; Aracati, distrito de Cataguases e à cidade de Recreio, locais que são os cenários desse drama infantil que promete emocionar.
O filme inaugura o Pólo Audiovisual de Cataguases em parceria com a Fundação Ormeo Junqueira, Fábrica do Futuro, Instituto Cidade de Cataguases e Instituto Francisca de Souza Peixoto.
"Meu Pé de Laranja Lima" é uma história de amor e amizade tão tocante quanto o mais improvável dos encontros.O elenco do filme é composto em sua maioria por atrizes e atores mineiros.



Elenco:

José de Abreu - Portuga

João Guilherme Ávila - Zezé

Fernanda Viana - Selma

Eduardo Dascar - Paulo

Tino Gomes - Ariovaldo

Leônidas Furtado - Luís

Káthia Calil - Jandira

Emiliano Queirós - Tio Edmundo

Inês Peixoto - Cecília Paim

Fernanda Lobo - Diretora da Escola

Eduardo Moreira - Ladislau



Orçado em mais de R$3.000.000,00 o filme conta com os patrocínios do BNDES, da Petrobras e Energisa, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais; com a distribuição da Imovision para o mercado latino americano e com a comercialização internacional da Elle Driver. O que confirma a grande qualidade do projeto.


A equipe técnica é formada por excelentes profissionais do Rio de Janeiro e Minas Gerais: Produtora: Kátia Machado, Produtora Executiva: Elza Cataldo, Roteiro: Marcos Bernstein e Melaine Dimantas, Direção de Fotografia: Gustavo Hadba, Direção de Arte: Bia Junqueira, Produtora de Objeto: Renata Martins Figurinista: Luciana Buarque, Cenógrafo: Ricardo Ferreira, Diretora de Produção: Joana Araújo e Som: Gustavo Campos, entre outros.


Acesem o blog do filme e fique por dentro de tudo que está rolando nas filmagens > http://meupedelaranjalimaofilme.blogspot.com/




e-com.colaborador:

Texto: Fernanda Brasileiro - Assessoria de Imprensa
Edição: Gabriel Nunes

V Encontro de Tradições Mineiras
Será realizado neste final de semana (dias 15,16/10) na cidade de Leopoldina-MG o V Encontro de Tradições com vários grupos de tradições de nossa querida Minas Gerais.
Neste teremos o III Fórum das Culturas Populares da Zona da Mata Mineira com a particição de líderes de movimentos culturais e tradionais da nossa região. Contaremos também com a participção de um oficina (vagas limitadas) e uma apresentação teatral com a Cia. Carroça de Mamulengos de Juazeiro do Norte-CE.Confira toda a programação do evento no: www.cumbuca.org.br
O projeto é uma realização do Registro do Folclóre da Zona da MataPratocínio da: Energisa, Fundação Ormeo Junqueira Botelho
Apoio: Sons da Mata, Cumbuca, Superintendência de Cultura de Leopoldina-MG, Cefet-MG, ACIL e Casa de Leiturae-com.colaboradorTexto e Edição: Gabriel NunesFoto: Cumbuca

V Encontro de Tradições Mineiras


Será realizado neste final de semana (dias 15,16/10) na cidade de Leopoldina-MG o V Encontro de Tradições com vários grupos de tradições de nossa querida Minas Gerais.

Neste teremos o III Fórum das Culturas Populares da Zona da Mata Mineira com a particição de líderes de movimentos culturais e tradionais da nossa região. Contaremos também com a participção de um oficina (vagas limitadas) e uma apresentação teatral com a Cia. Carroça de Mamulengos de Juazeiro do Norte-CE.


Confira toda a programação do evento no: www.cumbuca.org.br


O projeto é uma realização do Registro do Folclóre da Zona da Mata
Pratocínio da: Energisa, Fundação Ormeo Junqueira Botelho

Apoio: Sons da Mata, Cumbuca, Superintendência de Cultura de Leopoldina-MG, Cefet-MG, ACIL e Casa de Leitura






e-com.colaborador

Texto e Edição: Gabriel Nunes
Foto: Cumbuca

Cataguases e seus 133 anos de muitas histórias e orgulhos

No dia em que todo o Brasil comemorou o Dia da Independência - 7 de setembro - a cidade de Cataguases (MG) completava 133 anos em 2010 - motivo de orgulho para todos que em Cataguases vivem ou nasceram.

Cataguases gravou seu nome no cinema brasileiro com Humberto Mauro, nos anos 1920, e alcançou grande repercussão com a revista e o Movimento Verde (Rosário Fusco, Guilhermino César, Francisco Inácio Peixoto, Ascânio Lopes, Henrique de Resende, Oswaldo Abritta, dentre outros).

Cataguases esteve à frente no Movimento Moderno de arquitetura na década de 1940, muito por incentivo de Francisco Inácio Peixoto, que levou à cidade diversos arquitetos e artistas modernos para desenhar uma nova estética e consequente mentalidade para a cidade.

Nomes como Niemeyer, Portinari, Burle Marx, Joaquim Tenreiro deixaram seus traços na cidade. Diversos prédios modernos foram construídos na época. Em 1995, o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) decidiu pelo tombamento de uma área poligonal no centro da cidade, com aproximadamente 60 quadras, face à importância de seu patrimônio arquitetônico.

Por aqui também passaram artistas importantes no cenário cultural brasileiro. Você sabia que Francisco Buarque de Holanda - Chico Buarque - estudou no Colégio Cataguases? Clique aqui e saiba mais dessa história.

Conheça a história completa de Cataguases

No ano de 1828, mais precisamente em 26 de maio, o francês Guido Marlière, Coronel comandante das divisões militares do Rio Doce e diretor dos Índios e Inspetor da Estrada de Minas aos Campos de Goitacazes, chegou a um lugar denominado Porto dos Diamantes, no rio Pomba, onde viviam alguns habitantes e estava aquartelada a 3ª Divisão Militar.

E como um bom cataguasense que sou me orgulho desta terra! Uma cidade que foi responsável pelo descobrimento de novos talentos e personalidades ilustres, como nossa querida Maria Alcina, dentre outros.

Somos todos responsáveis pela preservação deste patrimônio cultural!


e-com.colaborador:
Texto e Edição: Gabriel Nunes
Fonte de pesquisa de texto: Wikipédia e Cataguases Viva
Fotos: Google

No próximo dia 6 (segunda-feira) às 19h, o projeto Tela Viva da Fábrica do Futuro estará exibindo gratuitamente para toda a população os filmes gravados durante a segunda edição do Festival Ver e Fazer Filmes.
Esta é sem dúvida uma oportunidade de ver bons filmes e se distrair com uma cultura de valor. Não deixem de ir e levar os amigos e os familiares!

e.com-colaboradorTexto: Gabriel NunesFoto: Fábrica do Futuro

No próximo dia 6 (segunda-feira) às 19h, o projeto Tela Viva da Fábrica do Futuro estará exibindo gratuitamente para toda a população os filmes gravados durante a segunda edição do Festival Ver e Fazer Filmes.

Esta é sem dúvida uma oportunidade de ver bons filmes e se distrair com uma cultura de valor. Não deixem de ir e levar os amigos e os familiares!

e.com-colaborador
Texto: Gabriel Nunes
Foto: Fábrica do Futuro

Pra quem ainda não sabe…

Melhor Filme:
“Roupas no Varal” (UFBA)

Melhor Filme Voto Popular:
“Roupas no Varal” (UFBA)

Melhor Diretor:
SILAS AGUIAR (PUC Minas), filme “A Mancha”

Melhor Produtor:
TAINÃ SENNA (PUC Minas), com o filme “A Mancha”

Melhor Fotógrafo:
BÁRBARA PROFETA (PUC Minas), com o filme “A Mancha”

Melhor Editor:
MATHEUS PIRAJÁ (UFBA), com o filme “Roupas no Varal”

Melhor Roteiro:
MATHEUS PIRAJÁ, ANANDA LIMA, PEDRO CAVALCANTI, MARCUS CURVELO, MAURÍCIO LÍDIO, (UFBA), com o filme “Roupas no Varal”.

Melhor Figurinista:
THAÍS BICHARA (UFBA), com o filme “Roupas no Varal”

Melhor Direção de Arte:
MARCUS CURVELO (UFBA), com o filme “Roupas no Varal”.

Melhor Som:
ANANDA LIMA (UFBA), com o filme “Roupas no Varal”.

Melhor Atriz Coadjuvante:
FERNANDA LOBO (Cataguases/Brasil), com o filme “Roupas no Varal”.

Melhor Ator Coadjuvante:
GABRIEL PEREIRA DA SILVA (Leopoldina/Brasil), com o filme “A Mancha”

Melhor Trilha Sonora:
“Roupas no Varal” (UFBA)

Resumo:

Prêmios:
“A Mancha” (PUC Minas): 4 prêmios (Diretor, Produtor, Fotógrafo, Ator Coadjuvante)
Roupas no Varal – UFBA: 9 prêmios (Editor,  Roteiro, Figurinista, Direção de Arte, Som, Atriz Coadjuvante, Trilha Sonora, Melhor Filme, Melhor Filme Voto Popular)

Votação Popular

Filme “Roupas no Varal”: 141 votos
Filme “A Mancha”: 107 votos.

Melhor Filme Documentário:
A ESPERA NO QUINTAL – Moçambique/Brasil.

Melhor Diretor:
EMÍDIO HILÁRIO (Maputo/Moçambique), com o filme “A Espera no Quintal”.

Melhor Produtor:
AMANDA ROMERO FAULHABER (Cataguases/Brasil) com o filme “A Espera no Quintal”.

Melhor Fotógrafo:
LEANDRO CUNHA (João Pessoa/Brasil), com o filme “Contracorrente”.

Melhor Editor:
BRUNO DIEGO (Cataguases/Brasil) e ISMAEL FARIAS (João Pessoa/Brasil), com o filme “Contracorrente”.

Melhor Roteirista:
LUIZ FERNANDO (Cataguases/Brasil), com o filme “Cicatrizes”.

Melhor Som:
DAVID MEDINA (Mindelo-Cabo Verde), com o filme “Tempo-de-criança”.

Melhor Trilha Sonora:
Filme “ESCRITO NAS TELHAS” – Portugal/Brasil.

Melhor Produtor pelos consultores:
FELIPE CARVALHO (Cataguases/Brasil), com o filme “Escrito nas Telhas” – Portugal/Brasil.

Melhor Filme Documentário Voto Popular:
“CONTRACORRENTE” – João Pessoa/Cataguases/Brasil

Resumo

Prêmios:
A Espera no Quintal – 4 prêmios (Diretor, Produtor, Roteiro, Melhor Documentário) – Maputo/Moçambique – Cataguases/Brasil.
Contracorrente – 3 prêmios ( Fotógrafo, Editor, Melhor Documentário Voto Popular) – João Pessoa – Cataguases/Brasil
Escrito nas Telhas – Portugal: 2 prêmios (Trilha Sonora, Melhor Produtor pelos consultores) – Lagos/Portugal – Cataguases/Brasil.
Tempo-de-criança – 1 prêmio (Som) – Mindelo/Cabo Verde – Cataguases/Brasil.

Votação Popular:
Contracorrente – Paraíba: 76 votos
A Espera no Quintal Moçambique: 72 votos
Tempo-de-criança – Cabo Verde: 36 votos
CicatrizesAngola: 32 votos
Escrito nas Telhas – Portugal: 24 votos

e.com-colaboradora:

Edição: Tainah Cúrcio

Imagem e Informações: Site Festival Ver e Fazer Filmes

Eis o dilema do ano: Fechar o Cine Edgard?

Como já mostrou o nosso e.com-colaborador, Gabriel, o cinema de Cataguases está para ser fechado e transformado, um absurdo. Esse fato está gerando uma revolta muito grande de todos os que o utilizam e aos que o edificam, pois como já sabemos o Cine Edgard é um monumento da história do cinema brasileiro e não pode simplesmente ser “destruído” assim. 

É indescutível que é infinitamente necessário umas certas reformas, uma melhora no sistema de som, uma pintura, até uma almofadinha na cadeira faria o povo ficar feliz. Temos uma estrutura maravilhosa que infelizmente está mal cuidada e consequentemente mal utilizada, valorizada… 

Nas fotos, mostram um dia de sábado, não era nenhuma estréia mas era Eclipse (vulgo: 3º filme da saga Crepúsculo) e vocês não tem noção da quantidade de gente que tinha em frente daquele cinema. Tomei um susto enorme! A fila estava dobrando a esquina, não é exagero. Vi um ônibus na frente e cheguei perto para perguntar se era mesmo o que eu estava imaginando: excursão de alguma cidade vizinha de Cataguases, para ir ao cinema. E realmente era! Um ônibus de 50 lugares, lotado. Não consegui descobrir de onde o ônibus vinha, na placa dizia Visconde do Rio Branco, será? 

O que isso quer dizer? Não só Cataguases, mas a região precisa do cinema, vamos lutar por uma reforma, não deixemos o grande Cine Edgard fechar!

"Sem o Cine Edgar não haverá memória, cheiro de saudade de Humberto Mauro, toda uma história cinematográfica tão importante pra nosso país." Portal Cataguases

e-com.colaboradora

Fotos e Texto: Tainah Cúrcio